sábado, 10 de março de 2007

KUOLEMA ART ZINE 23

KUOLEMA ART ZINE NÚMERO 23
DATA: DEZEMBRO 2006

“Te ver passando completa meu dia
nem sei (ainda!) como te chamo
e se devo te chamar.
Seus olhos quase que fechados
abrem inúmeras possibilidades para a felicidade;
uma felicidade talvez até impossível
sua cintura se misturando com as montanhas,
ambas dotadas de ímpar beleza.
E seu nome?
Como será, será que combina com o meu?
Se não o meu eu mudo
ficarei sempre lá, mudo...
mas sempre com a rosa que ira um dia ser sua
um dia tomo coragem e te paro,
será uma pena pois vou estar partindo.”

“Algo me grita aos ouvidos,
não sei bem o que quer dizer.
A chuva se mistura aos vários sons,
mas algo me diz que logo irei vela
assim que a chuva der uma trégua
e quando neste momento eu estiver,
sei que vou sorrir, sem graça, mas vou!
Chega de buscar alternativas para a vida...
Chegou a hora de ir,
pra onde não sei,
mas o seu lado qualquer lugar é o paraíso.
Hoje pensei em tocar na sua mão
te proteger e ser também
te dar um pouco deste súbito sentimento
ao qual fui submetido e aceitei!
Simplesmente aceitei...”

“Cuidado garota, atrás desta pele calma
algo cortante se desponta, aponta, afia-se
pode ser que não te machuque nunca
mas prevenir sempre foi o melhor que fazemos,
eu ao contrario, já me entreguei ao fio
fino fio cortante das giletes enferrujadas
e superei!
Acho que superei...
Parece que foi ontem que me cortei
ainda sinto o fio na carne branca, até pálida
e no meu sangue haviam vários rumores de outros amores
mas não estanquei, e tudo se foi.
Se foi e secou.
Vamos fazer um pacto de sangue?”

Nenhum comentário:

Visitantes

Loading...