sábado, 10 de março de 2007

KUOLEMA ART ZINE 14

KUOLEMA ART ZINE NÚMERO 14
DATA: JULHO 2006

“Eu queria fugir!
Eu quero fugir!
Preciso sumir!
Vamos estourar uma bomba atômica?
E ficar na janela observando,
um avião que cai,
um céu cinza,
a chuva que ameaça a encosta
Até as lágrimas formarem um oceano.
Esperar o medo do que virá logo,
- “fumemos” um cigarro?
- Tem fogo?”

“Um poema
Um poema morto
Um poema preso na mente
Um poema vivo
Um poema que da vida
Simples como um poema
Complexo como quem escreve
Perturbador, obturador
Que tira o sono
E da vida
Um poema como som
Profanado pelos deuses
Esquecido como amores
Amado como uma Maria
E neste amanhecer
Os poemas caem como orvalho
Despertam ao canto rotineiro dos galos
...enquanto eu tento dormir
os poemas acordam
vão trabalhar, tomar seu café
tentando serem pessoas”

“O que procuro ultimamente?
A beleza ausente no feio
a feiúra do mais belo
a constante que equilibrará o mundo
uma solução que não nos faça chorar
procuro por garotos e garotas,
idosos e velhas
a beleza de uma ruga
uma acusação verdadeira
um dedo no mato
alguma coisa que me embriague
e outra que não me de ressaca
uma volta, uma noite de sono
um dia produtivo
e sem dúvida,
as palavras certa para me expressar”

Nenhum comentário:

Visitantes

Loading...