quarta-feira, 3 de abril de 2013

"Ela se perdeu na palavra que calei
na angústia que criei
e num último golpe de sorte
ela me mostrou a mão aberta em acenos
e o rosto derretendo em água.
Eu, calado, pra não gritar
saí apressado do saguão
indo perdido pra não sei onde
e nunca mais voltei.
e fingindo tudo estar bem,
entrei num bar qualquer
pedi uma cerveja dois copos
e bebi
sozinho
em minha solidão o sonhos que a covardia me fez perder"
 

Nenhum comentário:

Visitantes

Loading...