quinta-feira, 6 de outubro de 2011

sem titulo

“E o resto do frio me encurtava


Seguia minha busca noite adentro

Munido de alma repleta de sonhos,

Tinha algo em mim que era segredo...

Aquilo que ainda ficava em mim

Aquecia-me no final do inverno

E não me extinguia.

Pois, sua força, me dava vontade

Seu silêncio me cutucava

E o frio lutava em meu corpo

Já não sentia nada além de sono,

Calei-me, apaguei as luzes

E no chão adormeci.”

Um comentário:

Rômulo S. Machado disse...

A noite é uma fonte de idéias para textos e traz consigo uma força de alma que garante apurada sensibilidade. Bom poema.

Se tiver tempo e saco passe no meu blog. Por coincidência meu último post também está ligado à noite.

http://escritoscomvidapropria.blogspot.com/

Visitantes

Loading...