terça-feira, 10 de abril de 2007

“Algum poema para o sol ir dormir
para ter todos os sorrisos puros da lua
um poema que só com o pensamento acabe com todo sofrimento,
todos os estudos para sermos felizes
e que esta felicidade nunca seja fraudada,
quero um ar puro ainda não respirado
cortar meu coração e doa-lo a quem precisa
sonhar com noites de outros tempos mais amenos
tempos em que a virtude era mero capricho,
sonhava com estrelas verdes e novas...
quero talvez somente te escrever uma carta”
(Ouro Preto, março 2007)

Nenhum comentário:

Visitantes

Loading...