domingo, 18 de março de 2007

“Se me quer pensando em você
me peça para continuar,
se o som ainda toca,
não reduza a velocidade de nossas ondas,
se penso em você ainda
é por mero psicológico acaso
e quando estou com você em mente, tenho outros planos...
Às vezes tão azos que nada reage
fumando os restos de nosso amor,
usando o que sobrou de cor
suspirando mentiras falsas e calmo, quase morto
saudade?
Sempre! Um dia passa, eu acho...
Como tudo sempre quase passa” (Rio de Janeiro, 05 janeiro 2007)

Nenhum comentário:

Visitantes

Loading...