quarta-feira, 14 de março de 2007

“Em quantas vias lhe perdi?

será que lhe perdi mesmo, ou me perdi?

lágrimas até esboço neste triste rosto

onde a tez se tornou pálida e sem vida,

se soubesse que a dor seria forte,

teria me mudado para não ver você partir

e ao partir partiu – me em quantos pedaços pode...

tudo aqui ainda recorda – me de você

tudo aqui dá – me uma sofreguidão de você

é como olhar – me no espelho e não refletir – me

no sentir – te em meus planos instáveis

quando você aqui estava era tão mais fácil sorrir,

mesmo sem vontade era fácil

pois você era vida, você era o que vivia em mim

mas foste e não deixaste uma pista sequer”

(22 de fevereiro de 2007)

Nenhum comentário:

Visitantes

Loading...