quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

poema da vontade
sem vergonha dos eros
poema que peca
pede com languida vontade
uma noite
um alvorecer
poema contraditório
às margens de um academiscismo
louco mundo,
louco é quem não peca
não pede com desejo
não se perde num desejo"

Visitantes

Loading...